Santos 3 x 0 São Paulo – Derrota que arranca as máscaras

18/04/2010 at 7:21 pm (Geral, São Paulo F.C.) (, , , )

Tricolor não consegue impor seu jogo e é derrotado

O São Paulo de sempre voltou a dar as caras. O time que não joga fácil, que não busca tabelas, que não é veloz, que é individualista até o erro surgir e definitivamente não sabe correr atrás de resultado.

Se a consistência defensiva tão aprimorada nos últimos anos dá resultado nos pontos corridos, ultimamente não é páreo para adversários mais ofensivos nos mata-matas.

O São Paulo entrou hoje com o pingo de esperança para vencer por 2 gols de diferença. Desde o começo jogou da forma que se acostumou. Levava a bola até a intermediária adversária e dali mirava uma bola alçada. Cruzamentos que logo foram as armas principais dessa equipe de qualidade, mas com pouco futebol no chão.

Logo deu pra notar a dificuldade que passaria. O Santos saia em contra ataque 10 vezes mais veloz, no chão, do jeito que o torcedor gosta. Neymar, aos 4 minutos, enfiou uma bola para Robinho que Hernanes não entendeu até agora, tamanha “rapidez” de pensamento.

A diferença ficou clara. O Santos se movimentando de tal forma que até Marquinhos se mostrava craque. E foi ele que deu o passe pro primeiro gol de Neymar, irregular, que a Globo relutou em reprisar e assumir a irregularidade do lance.

O São Paulo estagnado, com meias lentos e sem o devido entrosamento com os atacantes (quando este time vai entrosar?) não sabia como penetrar na área, sequer concluir a gol. O jogo inteiro de tentantivas conhecidas, cruzamentos frustrados, ligações diretas que minavam as esperanças do torcedor.

Richarlyson, recém recuperado de lesão, entrou para complicar. Precisa ter muita coragem para por um jogador fora de ritmo numa decisão. E não demorou para perder bolas, errar passes, levar contra ataque nas costas. Um erro de Ricardo Gomes.

As jogadas pelas laterais não funcionaram e o jogo era levado com méritos pela equipe do Santos.

Só uma crítica aos juízes: O primeiro tirou Marlos dos 2 jogos decisivos. Foi criticado mas logo esquecido pela imprensa. Este de hoje “já estava punido” e distribuiu cartões aos montes em lances duvidosos. Sabia que sua atuação não o puniria pela segunda vez. Situação semelhante ao de Marcio Rezende de Freitas e o famoso pênalti não marcado em Tinga. Neste caso, Marcio apitava o último jogo da carreira e parece que foi “protagonizar” seu grande lance da vida a mando, talvez, de alguém. Não houve punição porque ele se aposentou.

Por que dar chance para juízes nestas condições de apitar jogos como esse?

No mais, as críticas voltam para os jogadores, o técnico e também para Juvenal Juvêncio. Superproteger este técnico que pode ser excelente na conversa mas que em campo não corresponde é um erro. Ele tem o poder de mudar quando as coisas não andam bem.

O elenco é bom, tirando um ou outro ali que pensa que futebol se joga sozinho. RG diz aos críticos que a hora certa vai chegar e o time vai jogar bola. Se não aconteceu até hoje, porque aconteceria no próximo jogo da Libertadores?

As respostas de RG já acabaram e ele sabe disso. Infelizmente tem se mostrado incapaz de fazer este time jogar bola que preste. Se deseja o bem do clube pode contribuir de outra forma, em pedir demissão.

Libertadores é o maior desejo e o que nos resta. Jogando desse jeito, sem saber buscar resultado, prevejo nuvens negras e temporais daqui uns dias.

Anúncios

Link permanente 1 Comentário

São Paulo 2 x 3 Santos – Ataque volta a comprometer

11/04/2010 at 9:18 pm (São Paulo F.C.) (, , )

Tricolor começa mal e destaque é expulso aos 33 do primeiro tempo

Eu esperava um jogo complicado, decidido pelo placar mínimo, mas com vitória Tricolor. Não foi.

Eu supunha que haveria cartões e faltas que nos ameaçaria. O adversário veloz sobrecarregaria Miranda ou Alex Silva como maiores vítimas dos cartões, mas foi Marlos quem foi expulso.

Minha esperança era ver o tão elogiado Marlos distribuir jogadas com os companheiros Dagoberto e Washington. Não aconteceu nada disso desde o começo do jogo. Foi o ataque “burro” de sempre, com todos carregando demais a bola ao invés de procurar as tabelas.

A marcação seria forte e consequentemente a movimentação era fundamental. O Santos se movimentava mais, tabelando, como uma equipe, e abriu 1 a 0 depois de uma séria de falhas de Jr.César.

Com 30 minutos de jogo, o Santos defendendo todos os avanços e o meio campo Tricolor batendo cabeça por burrice e egoísmo, Marlos comete falta e leva segundo amarelo. O nome mais paparicado do elenco durante a semana deixa o time na mão sem dar 1 bom passe para o ataque ou uma jogada que justificasse todos os elogios.

O time se desestabilizou a partir daí. Voltou para marcar e ainda assim levou um gol de quem sabe atacar. Neymar, de bico, cruzou (enfiou) uma bola para o companheiro André aparecer por trás da zaga e marcar 2 a 0.

Repito: Neymar enfiou uma bola para seu companheiro marcar e todos festejarem.

Enquanto o Santos jogava para frente, o time egoísta do SPFC já não sabia como reagir.

O segundo tempo foi mais equilibrado, principalmente depois dos cartões que o juiz distribuiu para os santistas.

O SPFC continuou jogando mal, feio, somente na raça, mas com a experiência de Cicinho. Antes dele aparecer, Hernanes chutou de fora da área e diminuiu. Uma vibração solitária. Sem a reunião do time. Bem a cara da equipe em campo.

O Santos se enerva pela possibilidade de sofrer outros gols e recua. Então vem Cicinho numa jogada tabelada pela direita e cruza na medida para Dagoberto empatar o jogo de cabeça.

Resultado ótimo para 11 contra 10. Seria a redenção para os que jogam sem companherismo. Seria uma enganação para os torcedores mais fanáticos que não se deram conta que o SPFC atual é o que corre risco de eliminação na última partida de fases na Libertadores.

40 minutos de jogos e uma série de faltas perto da área de R.Ceni. O “acaso” ou “lance à parte” começa a dar as caras.

44 minutos, cruzamento no 2º pau que R.Ceni não afasta. Gol ensaiadamente treinado e gol de Durval (?) que sacramenta os outros 10 raçudos solitários e individualistas.

O sentimento da derrota começa gerar um outro. O da satisfação pelo possível reconhecimento do mal futebol, da falta de toque de bola, da falta de inteligência tática, do excesso de individualismo, da vergonha na cara.

Na Vila não me importa mais o resultado. Passo a me preocupar seriamente na Libertadores. O mata-mata mais desejado com anúncios de sofrimentos e nervosismo além da conta.

Link permanente 4 Comentários

Arquibancada por R$ 50, 60 …

08/04/2010 at 5:15 pm (Geral, São Paulo F.C.) (, , , )

Preços salgados para ver a primeira semifinal

Estão à venda ingressos para o SPFC x Santos no Morumbi, no próximo domingo.

Os valores da arquibancada azul estão em 60 reais. Na laranja por 50.

Nos setores Visa (arq. vermelha e amarela) os valores também são de 50 reais.

Para todos os setores tem a meia-entrada disponível por 50% do valor.

Maiores informações no site oficial: http://www.saopaulofc.net/v4/noticias2NOVO2.asp?PLC_map_001_c=02.01&PLC_cng_ukey=402761541245HVONHW

Link permanente Deixe um comentário

Santo André 1 x 3 São Paulo – Objetivo alcançado

08/04/2010 at 12:35 am (São Paulo F.C.) (, , , )

“Dedicado”, Tricolor vence e se garante nas semis

Eu achei que o jogo fosse transcorrer com maiores dificuldades do que realmente foi, devido aos “brancos” que o time sofre de jogos em jogos.

Mas vimos um Tricolor começando a 100 por hora com vontade de matar logo a partida e garantir sua vaga para a próxima fase do Paulistão.

Toques de primeira, movimentação e finalizações. O time decidiu jogar fácil e criou boas jogadas que não costumamos ver com frequência. Foi um primeiro tempo muito bom para o torcedor apreciar. Marlos sendo acionado a todo momento, usando da velocidade e servindo Washington e Dagoberto na frente.

Com Hernanes, Jorge Wagner, Jean e Jr.César apoiando o ataque o time não deu chances para que o Santo André se sentisse em casa, mesmo em Piracicaba e com um estádio lotado de são paulinos. Quem se intimidou foi o mandante.

O segundo tempo já foi mais complicado. Com 2 a 1 no placar, o Santo André saiu pro jogo arriscando para o tudo ou nada e complicou um pouco mais. A defesa com Alex Silva e Miranda tiveram que trabalhar e foram imbatíveis no confronto mano a mano.

O ataque já pecou nos contra ataques. Foram várias chances de gol mas aí aquele “branco” voltou e os lances foram se perdendo seguidamente. Quando era para tocar, arriscava-se o chute. Quando era para lançar, a bola era tocada para o lado.

Esses errinhos, como já disse aqui, matam o esquema e a apresentação geral do time.

3 a 1 ficou barato, mas o suficiente para garantir a vaga.

Enquanto alguns “aniversariantes” ficam fora chupando o dedo, é o SPFC chegando nas fases finais para enfrentar o time sensação do momento.

Domingo é SPFC x Santos no Morumbi.

Link permanente 2 Comentários

Notas Tricolores – 06/Abr

06/04/2010 at 11:01 am (São Paulo F.C.) (, , , , , , , , , )

Monterrey 0 x 0 SPFC – Não comentei o jogo da semana passada porque estava desanimado. Desanimado como o time, que poderia jogar 180 minutos e não se daria ao trabalho de chutar 1 bola a gol. Péssimo.

SPFC 5 x 0 Botafogo – Depois do apagão no México, o time voltou a correr e conseguiu golear o Botafogo Paulista e ficar perto das semifinais do Paulistão. Detalhe: o resultado elástico foi decorrente de um futebol superior ao do adversário mas não o melhor futebol que essa equipe pode jogar. Tem lá suas diferenças quando a gente analisa um resultado final e a maneira como a equipe se portou para construir a vitória. Apesar do 2º tempo bem aproveitado, o 1º tempo foi muito fraco, com chances a gol desperdiçadas inocentemente pela fome de vários jogadores. Uma falta de senso de equipe que fez do jogo uma chatice sem tamanho. A questão é, vão começar a jogar assim daqui para frente ou no próximo jogo já vão camelar de novo? Amanhã contra o Santo André a resposta.

Cicinho – Reclamou da reserva, entrou e se contundiu. Não teve respeito com seu corpo e com a decisão do técnico que afirmava não ter condições físicas ideais para atuar e agora ficará fora por 2 semanas sendo que seu contrato com o clube é só até o fim da Libertadores. Precisa ter calma e saber que o time precisa dele nesses poucos meses de empréstimo. Chega de fazer bico nesse elenco.

Marlos e Rodrigo Souto – Acho que merecem sequência de jogos pelas atuações que tiveram contra o Botafogo. Marlos por ser um excelente jogador quando joga para equipe e não “esfomeia” pode ser o meia criativo que tanto falta para esse elenco. Habilidoso, rápido e com boa técnica mostrou que pode ser titular. Só precisa ser constante nas atuações, sem fome. Já Rodrigo Souto é um volante rápido com qualidade de olhar o jogo. Se movimenta para receber a bola e é inteligente na hora da marcação, além de fazer seus gols oportunistas. Não prende bola e agiliza a saída do meio campo. Tecnicamente é melhor que Ricky.

Globo e suas traquinagens – A lei sobre os horários dos jogos discutidos na câmara municipal de SP teve forte apelo popular e quase que completa indiferença pela emissora que detém os direitos do futebol. Além de fazer pouco caso de um fato que interessa diretamente ao torcedor, apresentou dados “duvidosos” sobre as vantagens dos jogos feito em meio a madrugada. Certamente a Globo não se preocupa com o torcedor mas sim com os números de seu ibope. E como arma de comunicação e “informação”, boicota àqueles quem se opõem as suas vontades. O SPFC tem se tornado um desafeto da emissora por não se manter subserviente as decisões unilaterais que a emissora toma sem discussão com os interessados. O último e decisivo jogo da fase de classificação do Paulistão foi trocada por um jogo carioca da Libertadores com transmissão para o estado de SP. Acredito que intencionalmente, para “cutucar” o clube do comportamento “rebelde” e libertário das ações que a “Poderosa” tem sobre o futebol. Ela pensa que mexe com nada… Mas o torcedor já não é tão burro quanto ela imagina.

Link permanente Deixe um comentário

Corinthians 4 x 3 São Paulo – Serve, de novo, como alerta!

28/03/2010 at 6:47 pm (São Paulo F.C.) (, , , )

Tricolor perde e acusa ponto fraco

Para quem observava as deficiências deste time, que vinha desde os jogadores que formam a base do elenco, hoje ficou visível o quanto é perigoso não corrigir antes de chegar os mata-matas das competições.

O time não tem ofensividade, jogadas pela lateral e em velocidade.

Nossa defesa que tem crédito, hoje falhou em alguns lances. Daí não deu para “vencerem” o jogo para os atacantes.

Foi um placar atípico para clássico com 7 gols marcados e com um Corinthians mais consciente e dedicado no ataque e na defesa.

Quer dizer, a defesa deles não teve muito trabalho porque nosso ataque inexiste.

Foram inúmeras tentantivas frustradas de infiltração pelo meio facilmente desarmadas pelos rivais. Logo aos 15 minutos de jogo o time passou a fazer ligações diretas para os atacantes, único jeito de receberem a bola. E não recebiam da maneira correta.

Alas inexistentes, e o rival faz 2 a 0 para a ficha de Ricardo Gomes quase cair por completo. Só não deve ter caído porque Dagoberto fez uma jogada pela esquerda e cruzou certinho – milagre, ele olhou! – para Jean que veio pelo meio de surpresa.

O jogo que parecia perdido, pela diferença de futebol jogado entra ambas as equipes, agora voltava a ter 1 contra 1 no segundo tempo.

Ah, o juizão que deixou Dagoberto sofrer inúmeras faltas sem punir o adversário, expulsou Dentinho e Washington num desentendimento onde só o Washington saiu sangrando…

Washington saiu do jogo sem finalizar a gol, se não estou enganado. Essa é a nossa sina com “canela”. Deseja que ele nos ajude? Ajudem a ele primeiro ou não temos atacantes.

O segundo tempo voltou com o rival mais acuado, tentando segurar um resultado, mas o futebol Tricolor pouco agradou o torcedor apesar de se lançar a frente.

A falta de organização tática, os lampejos fominhas e egoístas de Hernanes não mudaram. O jogo era feio para o lado Tricolor e as falhas medonhas.

Num lance de falta, R.Ceni falha ao não defender a bomba que veio de R.Carlos. 3 a 1 quase que tudo definido na cabeça do torcedor Tricolor.

O jogo segue com o Corinthians bem mais recuado e o SPFC tentando atacar. Eis que em uma jogada também de bola parada e outra de cruzamento o jogo empata e já parecia de bom tamanho.

Não houve futebol por parte do time de R.Gomes, que diz para qualquer um ouvir: ” Este time está quase no ponto”… “Na hora certa este time vai jogar bola”…

Não entendo a que ponto deseja chegar e a que horas o time vai engrenar. A hora é essa e um vacilo nos mata-matas, um jogo que o ataque não funcionar como foi o de hoje, é fora! Eliminado. Não tem desculpa.

E quem dorme na hora, leva gol. No finzinho o rival marcou para vencer a partida num chute desviado em Alex Silva, justo ele, nosso xodó da zaga.

Mas tudo bem. Jogando “nada” de futebol, marcamos 3 gols e quase eliminamos o time da marginal s/n. O tabu continua, a alegria e o ódio deles em nos vencer, comove.

Mas pouco importa no fim das contas o resultado deste clássico no Paulistinha. Nem o gol no fim da partida me deixará acordado.

Castigo mesmo é este elenco cair na Libertadores sem ter conseguido jogar futebol. Isso sim envergonha.

Link permanente 1 Comentário

Bragantino 1 x 0 São Paulo – Finalizações pífias e castigo no final

25/03/2010 at 5:52 pm (São Paulo F.C.) (, , , )

Tricolor cansa de errar e leva “golpe justo” no fim do jogo

Ainda não foi a hora esperada por R.Gomes em que o time começaria a jogar bola. Tampouco a escalação era de se satisfazer com um empate fora de casa.

O time era forte, com a dupla de ataque mais rápida que a gente pode oferecer, apesar do desentrosamento: Dagoberto e Marlos.

Para quem se encheu do pivô e do W9 parado na área era o jogo para justificar sua preferência. Mas não deu certo também.

A velocidade imposta por Dagoberto e Marlos pecou pela falta do homem na área, que não precisa ser W9, mas de algum jogador que saiba ler o jogo e se posicionar. Ninguém se apresentou, muito menos Dagoberto e Marlos souberam jogar entre si.

A quantidade de passes errados e finalizações para fora foram como sempre, o destaque negativo da partida.

O Bragantino correu muito pelas alas e deu canseira na defesa. Mérito para um time que não teve medo de perder.

Na defesa, Miranda marcou um gol não computado ao tirar uma bola em cima da linha. André Luis também atuou bem, para quem não vem sendo escalado com frequência.

A bola do jogo resumiram-se em dois lances: A cabeçada torta de Léo Lima, de frente pro gol no primeiro tempo, e o chute na trave de Hernanes. M.Paraíba vem sendo muito criticado mas é o típico jogador inteligente que sabe se movimentar. Neste lance, quando Hernanes avança, Paraíba corre em diagonal para se posicionar no lado direito, sozinho, sem marcação. Hernanes, que joga de cabeça baixa e é fominha muitas vezes, perdeu a chance de dar o passe para o gol certo (Imagem abaixo).

Esses “errinhos” minam o futebol fraco que o melhor elenco do Brasil tenta jogar.

Hernanes, o volante-meia-atacante, é meu maior criticado.

Quer ser tudo e acaba sendo nada. Carrega a 10 nas costas mais por valorização do clube do que pelo futebol apresentado. Seu aproveitamento “técnico” caiu demais e não consegue retomar uma constante nas partidas. Tem a bola nos pés a toda hora e falha ao não saber passar na hora certa, de enfiar uma bola, de deixar um companheiro na cara do gol, de perder bola ao tentar driblar, de errar passe e mais passes.

Seu preciosismo, egoísmo patrocinado pela comissão técnica mata o futebol do resto do time. Que deve pensar que se o 10 erra dessa forma, eu que pego menos na bola, não posso estar sendo pior.

O camisa 10 deve se mostrar importante para cada lance que participa e assim obter o respeito do time. Não para satisfazer seu ego e provar a si mesmo que é bom jogador.

Este time preocupa nos mata-mata da Libertadores até que prove o contrário com sequências boas de bom futebol. E a hora é agora, professor R.Gomes!

Link permanente 2 Comentários

São Paulo 3 x 0 Mogi Mirim – No ritmo de sempre e vitória

21/03/2010 at 9:39 pm (São Paulo F.C.) (, , )

Tricolor não empolga mas vence mais uma

E nem exijo pedaladas e gols de bicicleta para dizer que jogou bem. Apenas jogadas com um ataque mais consciente, com toque de bola e infiltrações em velocidade, passes e chutes com qualidade.

E isso o SPFC não tem tido em boa parte de seus jogos neste ano. São bolas perdidas, chutes para fora, inúmeros passes errados, etc… Tudo isso contribui para que bons lances sejam ofuscados na análise geral.

Ainda vi um comportamento displicente do ataque que não lê as jogadas. O time vem jogando sem movimentação inteligente e não se importa com isso.

O Mogi está na 12º colocação. Um adversário fraco. O Ituano, na 11º, levou de 9 agora há pouco do líder Santos.

O melhor elenco está no lado Tricolor. A vontade de jogar está com o Santos.

Link permanente 1 Comentário

São Paulo 2 x 1 Rio Branco – Futebol fraco com mais uma vitória

15/03/2010 at 6:43 pm (São Paulo F.C.) (, , , )

Tricolor venceu sem jogar bom futebol e só.

Como tem ocorrido nos últimos confrontos, nacionais e internacionais, o SPFC não vem jogando um futebol atrativo para quem gosta de futebol e também para quem torce para o time.

Ou seja, o time vem sendo ignorado pelos amantes de futebol e acabando com a paciência de quem torce pelo time.

O são paulino não quer ver “circo de malabarismo”, mas um futebol inteligente com a qualidade defensiva de sempre, mas principalmente a ofensiva, setor mais deficiente nos últimos tempos.

Ontem o individualismo matou muitas jogadas na hora de definir. Não assisti o jogo inteiro mas me disseram que a falta de organização ofensiva foi a maior deficiência nos contra ataque e as conclusões a gol foram algo de desanimar o mais apaixonado torcedor.

O time está inchado de bons jogadores que em campo não correspondem.

O destaque de ontem foi a estréia do lateral esquerdo Thiago Carleto que mostrou um potencial para brigar pela posição. Chuta muito bem a gol.

Link permanente Deixe um comentário

Ponte Preta 0 x 2 São Paulo – Vitória com Washington

08/03/2010 at 9:01 pm (São Paulo F.C.) (, , , )

Vitória fora de casa e 3º colocação na tabela

Não pude assistir o jogo mas pelo que li nos noticiários esportivos o Tricolor não encontrou maiores dificuldades contra a Macaca, 10º colocada do Paulistão.

Se a gente for levar em conta a posição anterior ao resultado do jogo, o confronto seria um bom teste para analisar a quantas anda o time são paulino já que resultados positivos contra equipes fracas tem o costume de ocultadar erros graves na equipe.

O resultado foi ótimo. Pelos melhores momentos, ainda deve melhorar.

Link permanente Deixe um comentário

Next page »